Categoria "JAZZ"

10 MÚSICAS QUE NÃO PODEM FALTAR NUMA AULA DE JAZZ

Eu sempre fui apaixonado pelo Jazz (você pode ler um pouquinho da minha história com a Dança clicando aqui). E ficava louco com as músicas que minha professora (um super beijo, tia Cláudia!) colocava nas aulas. Era uma melhor que a outra e todas tão atuais e/ou bem diferentes!
 
Eu ficava pensando onde a professora encontrava tanta música legal… E cabe ressaltar que, na época, a internet não era tão popular quanto hoje!
 
Pensando nisso, listei as 10 músicas que, na minha opinião, não podem faltar em uma aula de Jazz!
 
Vamos conferir?!
 

How Deep Is Your Love – Calvin Harris & Disciples


 

Send My Love (To Your New Lover) – Adele


 

Cheap Thrills – Sia


 

Work from Home – Fifth Harmony ft. Ty Dolla $ign


 

Me Too – Meghan Trainor


 

Bang My Head – David Guetta ft. Sia & Fetty Wap


 

It’s Not Right But It’s Okay – Whitney Houston


 

Bitch I’m Madonna – Madonna ft. Nicki Minaj


 

Bleeding Love – Leona Lewis


 

Love On Top – Beyoncé


E aí, o que acharam?
Eu adoro toooooodas!!! <3








   VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE:

5 EXERCÍCIOS QUE PARECEM FÁCEIS, MAS NÃO SÃO

Criei uma lista com 5 exercícios do Ballet (e do Jazz também!) que parecem super fáceis de serem executados, mas na verdade não são!
Minha professora sempre dizia que se tiver parecendo fácil, é porque está errado. E é bem por aí!
 
1) Plié
Parece o mais simples de todos, mas não estamos conscientizados de que tudo no Ballet e no Jazz começa com este exercício. Para saltar, usamos plié. Para cair do salto, usamos plié. Na preparação das piruetas, usamos plié.
Mas, quando estamos na Barra realizando este exercício, muitas vezes o fazemos de qualquer jeito. Não nos preocupamos com o trabalho muscular que está sendo desenvolvido. Não nos importamos com a nossa postura. Não pensamos se estamos colocando peso demais na parte interna ou externa dos pés – o que deve ser distribuído igualmente pelo pé inteiro. Muito menos ligamos para a posição dos pés (en dehors) em relação ao joelho.

Plié
 
2) Jeté
Arraste o pé totalmente pelo chão à frente, ao lado ou atrás. Quando não tiver mais como, passe pela meia ponta, ponta e aí, sim, tira do chão a 30 graus, aproximadamente. E na volta, deve-se fazer o caminho contrário: ponta, meia ponta e arrasta até chegar à posição inicial. O que sempre temos que lembrar: na ida, o calcanhar que puxa o movimento, girando o máximo possível o en dehors. Na volta, é o dedinho quem comanda.

Jeté
 
3) Cambré
Temos que ficar atentos ao alinhamento do ombro – ambos devem estar na mesma altura. Devemos sempre ter em mente que o cambré começa na parte de baixo da coluna (lombar) até chegar a cabeça. Nada de joelhos dobrados, pescoço tensionado, braço relaxado, bumbum empinado ou cabeça solta.

Cambré
 
4) Rond de Jambe
Esse é um dos exercícios que mais apresenta problemas na execução. Parece mesmo bem simples fazer (semi) círculos com as pernas. Mas e o quadril que se mexe o tempo inteiro? E o en dehors que, a essa altura, já nem existe mais? E quando encurtamos o caminho e começamos na diagonal frente e terminamos na diagonal trás ou vice-versa? Ainda temos que pensar nos braços, cabeça, ombros, costelas fechadas.
Sim, é muita coisa para pensar!

Rond_de_Jambe
 
5) Sauté
Muito cuidado na preparação e na queda dos sautés. Bumbum empinado, JAMAIS! Preste atenção no peso distribuído por todo o pé. Quando tiver no auge do salto, estique bem as pernas e os pés. Saia do plié e volte no plié. Nada de força nos braços, ok?! Lembre-se: bailarinos devem transparecer leveza. Deixe a força somente nas pernas.

Sauté

E para vocês, quais outros exercícios que parecem fáceis, mas não são?








   VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE: